segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Aguarda-se um mês cheio de promessas a curto prazo

Não sei se sou o único, mas este ano tirei umas feriazinhas da política. Às vezes temos mesmo de nos afastar para perceber o que os nossos mais críticos são capazes de fazer, já que ‘nunca se enganam e raramente têm dúvidas’. Ai é assim, ó sôtor? Então faça o favor de fazer uma boa viagem que nós ficamos por estes lados…
Aguardo com algum entusiasmo para conhecer as propostas que vão ser lançadas. Um ou outro amigo já me deu a conhecer algumas ideias. Umas parecem-me bem, outras nem por isso, mas o que realmente noto é que todas elas nos parecem pouco consistentes. São facilmente descartáveis, se é que me faço entender. Não estaria já na altura de se pensar um concelho a longo prazo? Conhecer as estatísticas da população e centrar toda a ação para melhor satisfazer as reais necessidades, mas de forma contínua e duradoura?
O que adiantou há uns anos construir campos multidesportivos em freguesias que não conseguiam fazer uma equipa quanto mais duas para se defrontarem? Pois, é mesmo isso… As estratégias têm sido muito pouco adequadas…

Penso, sinceramente, que ainda vamos a tempo de apelar ao bom senso. Não tentem fazer das pessoas ingénuas, porque elas quando querem sabem muito bem dar o verdadeiro pontapé. Aproveitem, senhores candidatos, para se sentarem com professores, economistas, juristas, agricultores, pedreiros e trolhas, padeiros e carpinteiros, ou seja, com representantes de várias profissões, movimentos e associações, mas que possam dar um contributo para o que efetivamente é necessário para Fafe.

Sem comentários:

Enviar um comentário