quinta-feira, 28 de julho de 2016

Carta aberta ao Presidente da Câmara de Fafe

Caro Dr. Raúl Cunha,
Os meus cumprimentos!

Tem de levar o mandato até ao final!
     Acompanhei com atenção o último ato eleitoral do partido pelo qual se candidatou nas últimas eleições. Este acompanhamento não foi mais do que os jornais ou redes sociais deixavam escapar, mas vi que a luta se tornou verdadeiramente interessante com a sua tomada de posição. Enfrentar poderes instalados não é fácil. Apoiar incondicionalmente a candidatura de Pompeu Martins foi uma marca bem distinta do que se conhece na política fafense nos mais diferentes quadrantes.
     Confesso que na altura da sua candidatura à Presidência da Câmara não acreditava nada que pudesse trazer a Fafe grandes novidades, quer o Dr. Raúl quer os restantes candidatos a vereadores faziam parte dessa estrutura partidária que bem conhecemos, mas hoje tenho de reconhecer a frase: ‘não é por acompanhar com os maus que temos de ser como eles’.
     Apesar de toda a controvérsia no ato eleitoral, lá se conseguiu o veredito final e eis que consegue fazer uma coligação. Até neste caso, se tivesse tido a oportunidade de votar em plenário, votaria contra essa coligação. Quando se soube do resultado das eleições, fui quase o único a dizer que preferia que tivesse ganho a lista dos independentes… Muito sinceramente, acho que Fafe perdeu muito em ter gente que só trabalhou para o aparelhismo e em concreto para um determinado grupo, o que saltou à vista novamente com o cacique de votos denunciada nos jornais, e em particular a minha freguesia perdeu imenso… Sim, eu sou da aldeia!
     Ainda não chegamos ao final de três anos. Os imbróglios que não havia meio de se resolver, estão com fim à vista. A Câmara de Fafe está aberta aos cidadãos. A todos. Já não é preciso pedir ao tipo mais próximo do aparelho para desbloquear processos na Câmara. O Presidente é capaz de ouvir e não deixa que nenhum chefe de gabinete altere o que acordou previamente. Humildade e Atitude! Humildade porque tem a capacidade de ouvir as propostas e, se as considerar oportunas, não hesita em apoiar. Atitude simplesmente porque tem palavra.
     Há ainda muita coisa a fazer por Fafe. Uma verdadeira articulação na saúde, educação, cultura e artes entre a Autarquia, as Famílias, a Escola e as Instituições. É preciso uma maior sintonia com o IEFP e, quem sabe com esta nova proposta do Governo de acompanhamento aos desempregados, conseguir colmatar esse flagelo e fixar mais os nossos jovens. Apostar em infraestruturas que sejam realmente eficazes para a qualidade de vida das pessoas. Enfim, tanta coisa precisa ser feita e só com alguém com capacidade de ouvir e optar pelo melhor é que poderá ser possível…
     Não julgue que escrevo esta carta só para não deixar cair a coligação. É que isso nem me preocupa. Viria com bons olhos uma candidatura à Câmara do Eng. Baptista ou novamente do Dr. Pedro Gonçalves que reúnem a característica que muito admiro, a humildade. Mas, ao que parece, nem um nem o outro serão candidatos a Presidente da Câmara.
     Dois mandatos é o tempo ideal para deixar marca e obra. Se não for possível os dois, que se cumpra este até ao final. Apoio não lhe faltará…
Um forte abraço.
Pedro Sousa

In Jornal Povo de Fafe (28-07-2016)

Sem comentários:

Enviar um comentário