sexta-feira, 20 de março de 2015

Se Deus criou o homem à sua imagem, por que é que este fez logo merda?


José Carlos Nascimento. Sem Título. Jacto de Tinta. 2015.

Ao centro a Bíblia aberta no livro dos Génesis, o pecado original, e no fundo a imagem de uma mulher, a Eva em pleno ato pecaminoso. À esquerda e à direita. Uma maça. Uma banana. A maçã, conhecida pelo seu lado tentador, aqui cortada a meio, a banana também, 'como que autopsiadas no cumprimento do castigo depois de consumada a tentação', assemelha-se a um coração. Já a banana pretende simbolizar mesmo o lado perverso e aqui é a representação do órgão sexual de Adão. Ambos colocados estrategicamente sob um fundo preto, não o vermelho da paixão, antes o preto como referência à condição humana de mortais depois da condenação.

Nota do artista: «... um aspeto absolutamente fundamental nesta fotografia, é que os registos fotográficos foram feitos exclusivamente com luz proveniente de filmes pornográficos.» 

'Deus sabia. Não vale a pena especular mais. Deus é todo poderoso e tinha plena consciência nas que se estava a meter.' Concordo com esta ideia. Se Deus sabe tudo, tinha de saber que Adão não resistiria à beleza de Eva, muito mais se esta se encontra no meio do mato e só coberta com umas folhinhas... 

Tentação. Consumação. Condenação. A condição humana está condenada...

O trabalho está exposto no antigo Governo Civil de Coimbra, numa exposição do Teatro Anatómico (o olhar da Arte sob a condição humana), até ao final do mês de Março.

Sem comentários:

Enviar um comentário