terça-feira, 17 de março de 2015

“Com Fafe, Ninguém Fanfe”

Sou um acérrimo defensor da causa. Nunca fui muito com a ideia de Sala de Visitas do Minho. Não quero com isto menosprezar a intencionalidade dos seus autores, sejam lá eles quem forem, mas “Justiça de Fafe” vende muito mais e nisso ninguém me lixa.
Assumi esta posição há muito tempo. Há dias voltei a fazer referência ao assunto:

Logo de seguida vejo anunciada uma aposta na Justiça, ainda que o nome me pareça lançado um pouco a medo: “Terra Justa”. Porquê? Não seria mesmo mais eficaz: “Fafe, Terra da Justiça”?
Compreendo que se queira associar este novo projeto a ‘causas’, mas haverá causa maior do que fazer justiça? Até nas palavras: ‘justa’ tem 5 letras e 2 sílabas e ‘Justiça’ tem 7 letras e 3 sílabas. Até a simbologia do 7 e do 3 podiam ser auxiliadores de grandes dissertações académicas… ou criações performativas!
É mais do que evidente que me agrada pegar no tema. Mas mais me agradará se se assumir mesmo este nosso lema tão forte (Com Fafe, Ninguém Fanfe) e a própria imagem da ‘Justiça de Fafe’ como se faz com o Galo de Barcelos.
Querem apostar como a imagem vende?
Vamos ver quantos likes tem este post… com esta simpática imagem que representa muito mais do que arruaceirada que alguns tanto medo têm. Quem vem de fora quer ver esta imagem e conhecer o nosso lema.
Não será de justiça que a cidade de Fafe, o Distrito, o País, A Europa e o Mundo precisam?
Seja como for, finalmente à 'Justiça de Fafe' vai-lhe ser dada a importância merecida. Mais uns pontos para quem muito bem sabe orientar o líder maior e, com isso, o líder soma e segue. É assim, um gestor não tem de saber tudo, mas tem de se saber rodear. Para que se 'faça justiça' temos de aplaudir Nuno Cobanco que muito bem está a trabalhar a imagem de Fafe e Raúl Cunha que se soube rodear.

Viva a Justiça… de Fafe! Claro! 

Imagem retirada do JORNALdeFAFE

Sem comentários:

Enviar um comentário