segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Preparados para candidatura a deputados sem direito a subvenções

É preciso ter peninha dos políticos, não é?
A recente polémica das subvenções dos políticos até parecia comédia no início, mas o desenvolvimento da coisa foi mais para a tragicomédia. Os pobrezinhos, obrigados a desempenhar cargos públicos, acham que merecem, depois de 12 anos ao serviço do país, levar com um bruto dum subsídio para a vida toda.
Carrega Portugal. Portugal, dos pequeninos, pois tá claro!
Queixam-se, suas excelências, que o facto de sacrificarem a família é merecedor de compensações. Ai é?
E aqueles que são obrigados a imigrar e só veem as suas famílias de mês a mês ou ano a ano, porque os políticos não conseguem políticas de emprego que garantam a sua permanência com as famílias? E os Professores que têm de ir para qualquer parte do país e nem por isso recebem mais se fossem colocados à porta de casa? Também porque os mesmos políticos nunca conseguiram encontrar um concurso mais eficaz…
Mas acho giro este recurso à dor que os próprios causam nas suas famílias, bem felizes por sinal por eles estarem bem longe lá para Lisboa, pois é garante de um estilo de vida bem mais confortável do que a maioria das pessoas e ainda são tratados com a real vénia campónia. Se estão assim tão sofridos, por que será que não deixam os seus lugares para outros? Por que será que guerreiam entre eles para estarem em lugares elegíveis? Por que não deixam que a renovação aconteça definitivamente?
Antes que me perguntem, parece-me justo que quando chegarem à idade da reforma, também por eles estabelecida em 65 anos, tenham rendimentos de acordo com os seus descontos, mas já considero um absurdo quererem usufruir do dinheiro dos contribuintes – designado pomposamente de subvenções – e continuarem as suas vidinhas como uns verdadeiros Reis na República!
A Carbonária precisa de atuar novamente para derrubar estes tiques Monárquicos. Sem sangue, mas com uma verdadeira luta cultural. Pelos vistos, analisando as atitudes públicas de alguns quadrantes da política, até já está a acontecer e as pessoas estão a gostar…
Acreditando que estes senhores não querem mais nada com a política se acabarem com as subvenções – e porque querem dedicar-se somente às suas famílias, os caros leitores estão disponíveis para servir o país sem direito a essas regalias?

in Jornal Povo de Fafe (29-01-2016)

Sem comentários:

Enviar um comentário