quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

A minha pátria é a língua portuguesa

A propósito da Língua Portuguesa, destaco a crónica de António Vilhena "O futuro morreu jovem". em particular o trecho: «Neste país, onde o que tem futuro morre jovem, onde o verniz serve para esconder os fungos das unhas, onde o embuste é premiado, onde a ética é vista como caligrafia dos fracos, sobra um mar de revolta e alguma aspereza.»
É tempo de agir!

Sem comentários:

Enviar um comentário