sábado, 28 de março de 2015

Olha-me nos olhos

«Ela estava lá! Sentada como de costume. A minha respiração altera-se. Já não sabia mais o que fazer. Esquecia-a por instantes. Um café... Estava ali. Agora. Tão doce como sempre. Não me olha mais... Vou-me embora confiante. Mais triste do que nunca. Mas vou voltar. Reforçado. Não feliz. Agora a luta é outra. Há mais verdade. Tudo parece voltar ao princípio da criação. O centro das atenções volta-se para futilidades insignificantes, mas as certezas são cada vez mais. Atiro-me novamente aos afazeres. I'm the best. No stress.
Tudo isto não passava de máscaras. Os meus sentimentos não mudaram. Resfriavam apenas. Volto a ser eu. Procuro confortar meus pensamentos perturbados. Acredito nas forças da brisa. Sou eu. Estou vivo. Hoje quem não te olha mais nos olhos sou eu. Mas eu quero-te ainda mais do que ontem. Tu sabes isso. Mas vais duvidar. Aposto que vais voltar com a mesma intensidade como me tratavas. Ou talvez não voltes mais. Mas eu estou vivo. Tu deste-me mais esta certeza. Obrigado. És linda. Olha-me nos olhos.»
in Sem Chance

Sem comentários:

Enviar um comentário