segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Naturfafe v/s Contactwaves: GANHOU A PROPOSTA MAIS CARA 52 OOO EUROS?

Já tinha visto este artigo no dia em que foi publicado, mas como pensei que encontraria o link na página do JN não tirei fotografia. Consegui encontrá-lo e, depois de tentar perceber o que se passa, acho que preciso de mais informações. Diria mesmo, muitas informações, mas que podem ser resolvidas com dois mails, um de cada entidade envolvida no concurso. Gostava de poder ler os dois projetos. Acredito que eles possam estar acessíveis em alguma página online, mas não encontrei e, se for o caso, pedia que alguém que conheça essas páginas que me enviasse para analisar e tecer os meus próprios comentários.
Não tenho por hábito puxar pelos ‘meus galões’, contudo também não posso esconder que sou especializado na área artística, mais concretamente Mestre em Estudos Artísticos pela Universidade de Coimbra.
Não pretendo substituir o júri. Longe disso. Mas como quem não deve não teme, como cidadão que paga os impostos e visto que há dinheiros públicos envolvidos, tenho todo o direito em analisar e tentar perceber a razão pela qual GANHOU O MAIS CARO!

Confesso que também gostava de ouvir as forças e movimento político do concelho. Principalmente os eleitos. E, desde já, lembro e relembro que neste blogue, desde que seja identificado e com respeito, todos podem e devem comentar. Seja de que partido for. Aqui quem manda sou eu. Não obedece a nenhum credo religioso. Nenhum clube futebolístico e muito menos um partido político ou qualquer indivíduo que se julgue mandar nos espaços dos outros, ok? Quem quer mandar que vá para as Serras de Fafe e manda nos penedos, se eles deixarem, é claro!

4 comentários:

  1. Pedro:
    permite-me, apenas, uma achega.
    Tanto quanto sei, o que se lançava a concurso não era a programação dos equipamentos mas, antes, a gestão e promoção dos mesmos.

    ResponderEliminar
  2. Ricardo,
    Permitir, sabes que permito. O problema é que isso não resolve as minhas dúvidas, muito pelo contrário só as aumenta. Já sei que sabes de coisas que eu desconheço, quanto mais não seja por este comentário e por pertenceres também à Naturfafe. Mas será que o que me queres dizer é que a Naturfafe em projeto tem a gestão e promoção dos equipamentos e a Contactwaves tem a programação?
    Se assim é, pergunto: Como se faz a gestão desses espaços sem programação? Ou será que a 'programação' dos espaços vai ser delegada em alguma empresa como tem acontecido com outras áreas da Câmara? Se for isso, estou interessado em apresentar projetos. Já 'promoção' é outra história...
    O que eu irei analisar, se é que me enviam os projetos, será precisamente a gestão cultural e artística, atendendo aos espaços em causa, nomeadamente a sua PROGRAMAÇÃO E PRODUÇÃO (se é que foi contemplada). Claro que a promoção vem por acréscimo, até nem consigo pensar num evento sem a sua promoção...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que eu sei é que a programação não foi lançada a concurso, ou seja, o concorrente teria de apresentar uma proposta para a gestão dos equipamentos e sua promoção ficando a programação na alçada do município. Como sempre foi.
      É uma confusão que pode inquinar a análise das propostas. Claro que ao programares estás, também, a promover mas o adjudicante não incluiu no concurso a programação.

      Eliminar
    2. Ó Ricardo, vais-me desculpar a expressão, mas que raio de concurso é esse? Há um concurso para gerir mas quem faz a programação são os outros? Afinal, vais gerir o quê?
      Ou seja, tu tens uma casa, eu candidato-me para gerir a tua casa, mas tu depois é sabes o que vais lá fazer??????
      Isto não lembra a ninguém. Bem, pelos vistos lembra, mas sejamos sinceros... isto é uma treta!
      Gerir tem de implicar mesmo "gerir" e não "arrendar", nesse caso, a Câmara não precisa da Naturfafe e se sempre fez assim, sempre fez mal... o que já se tinha percebido antes, até pelos teus artigos.
      Ora pensa comigo, se colocares "Rilhadas" a concurso para encontrar uma empresa para gerir, não és tu que vais fazer o que queres, mas será essa empresa. É essa empresa que vai dizer o que se deve e não deve fazer... porque se continuas a ser tu, para quê contratar outra empresa?
      Com estas trapalhadas, volto a uma pergunta que te deixei no blogue em tempos: 'A Naturfafe serve mesmo para quê?'

      Eliminar