sexta-feira, 25 de abril de 2014

É hoje que conto tudo…

Este título vai trazer visitas. Não porque vá “contar tudo”, pelo menos por agora, até porque ainda faltam uns pormenores à grande exposição pública que os impostores merecem. Noutros tempos, todo este parágrafo já estaria riscado e eu com a cabeça a prémio. Mas como já não estamos em outros tempos, vou continuar a escrever este artigo, agora chamado de ‘post’, no ‘meu blog’, e ele vai ser publicado livremente, não fosse eu o editor/proprietário/gestor/articulista e blogger responsável…
Hoje é Abril. Hoje não há diretor nenhum que me proíbe de publicar o que quer que seja, porque o diretor sou eu… hoje, neste Abril, posso escrever sobre ‘As princesas que sonham’ porque elas, sobretudo as filhas dos senhores lavradores de há 60 anos – ainda não vai nem há um século, já podem casar com quem quiserem, independentemente do ‘marmanjo’ possuir terras ou umas cabeças de gado… Hoje, os filhos da classe baixa estudam nas melhores Universidades do país porque tiveram notas para lá entrarem… hoje, hoje é Abril e só me lembro da ‘Grândola Vila Morena…’ vai-se lá saber porquê…
Hoje, neste dia 25 de Abril de 2014, há políticos espalhados por todos os lados. Uns de cravo ao peito, outros de risquinha ao lado, mas todos emproados em gravatas eretas, desdobrando as expressões em sorrisos hipócritas porque a sua liberdade não são mais do que os ordenados ao final do mês que lhes permite uma vida mais desafogada do que o pobre do cidadão comum. Esses mesmos políticos, os defensores da liberdade, não passam de uns maltrapilhos que julgam todos mais burros e que jamais estariam preparados para assumir outros cargos, porque eles é que são os bons… os outros não, principalmente aqueles que estão ao lado, porque podem ter mais protagonismo.

Hoje é Abril… e o dia tem as mesmas 24 horas como todos os outros dias!

Sem comentários:

Enviar um comentário