sábado, 8 de fevereiro de 2014

Fafe, Cidade das Associações (com ou sem) Arte?

Há uma coisa que ainda não entendi nos projetos de intervenção cultural em Fafe:

As Associações servem para responder aos apelos que a Vereação lá vai propondo (Cantar dos Reis, Jornadas Literárias e/ou Culturais…) de forma voluntária. Mas quando se trata de contratar alguém a pagar já recorrem a produtores de fora. Será que não há ninguém credenciado neste concelho? Nas mais diversas Associações não haverá artistas credenciados ou licenciados, mestres ou doutores pelas Universidades Portuguesas reconhecidas internacionalmente?  Será por isso que em vez de entregarem Escolas abandonadas a Associações com projetos as entregam às Juntas que nem as utilizam?

Vendo bem, as Associações só devem mesmo servir para bater palmas!


3 comentários:

  1. Bem visto, Pedro. No entanto, pergunto eu: as associações apresentam projectos que são recusados? Se isso se passar e, de seguida, forem contratar produtores de fora é grave e discriminatório, até.

    ResponderEliminar
  2. Ricardo, há aqui duas questões: a primeira, que se refere à contratação; a segunda, que se refere a espaços desocupados que podiam ser ocupados pelas associações com os melhores projetos. Na primeira, acho que se deveria apostar mais nos jovens da terra, ainda que tivessem de ser coordenados por alguém com experiência que até podem ser estes, mas é preciso colocar grupos no terreno (desassossegar, mas para alegrar); a segunda, deixo o link que podes consultar (http://clubalfa.blogspot.pt/p/imprensa.html) no artigo publicado no Jornal Povo de Fafe (07/09/2012).

    ResponderEliminar
  3. Quanto a ambos os itens estamos de acordo, Pedro. O que eu queria dizer é que falta "atrevimento" aos players de Fafe para apresentarem projectos. Penso, também, que o papel do "Fafe Cidade das Artes" é integrar projectos locais e trazer para os seus projectos gente de Fafe e, se não o fizerem, aí serei eu o primeiro a denunciar essa situação.
    Quanto ao 2º ponto estou ainda mais de acordo contigo (se isso for possível) e até desafio as associações a propor a dinamização do espaço onde funcionou o "Mercado Bar". Tentador, não?

    ResponderEliminar