sexta-feira, 4 de maio de 2012

As freguesias precisam de líderes criativos


            A gestão das freguesias nem sempre está entregue aos melhores. Um facto que se deve a um sistema eleitoral democrático e contra isso nem uma palavra, mas não é preciso esperar pelo final de mandato para ver quem realmente merece aplauso ou simplesmente um cartão vermelho por atrasar o progresso e com isso impedir a qualidade de vida dos seus habitantes.
            A freguesia de Aboim, uma pequena aldeia do concelho de Fafe, é no momento a mais importante ao ver o seu nome destacado na imprensa nacional. Através da recuperação de um moinho de vento e da transformação de uma escola primária em Museu está a contribuir para que a cultura em Fafe aumente apenas com um simples ‘cuidar’ do seu património. Esta comunidade já não sai mais do mapa, restará uma boa campanha para dar a conhecer o seu ‘Centro Interpretativo’ e levar com isso a uma adesão de visitantes, sobretudo das novas gerações, para conhecer o passado e comparar com o presente, numa perspetiva de planear um futuro melhor e com gosto pelo património cultural.


            Fafe tem muitas aldeias rurais. Fafe tem um património material e imaterial imenso. Mas Fafe também tem a liderar os destinos das suas aldeias muita gente sem sensibilidade para estas questões. As pessoas não precisam de saber tudo, mas precisam de se saber rodear de gente capaz para colaborar nesta tarefa que não é fácil, mas só não consegue quem não quer! São conhecidas algumas situações em que há associações culturais que entregam propostas de intervenção cultural e artística para dinamizar determinadas aldeias, as respostas, quando aparecem, são negativas porque há interesses em instalar nas antigas escolas associações onde os dirigentes autárquicos também são dirigentes dessas associações.
            A autarquia deveria ser mais seletiva na entrega ao desbarato das infra estruturas desocupadas. A autarquia deveria estudar um projeto para cada local, o grande problema é que a sua demissão das aldeias é tão evidente que se preocupam simplesmente com uma obra, a maioria das vezes uma estrada, para contentar os representantes nas aldeias.
            Com mais um mandato a um ano e alguns meses do fim, podemos afirmar que a Câmara de Fafe vê a cidade como um todo e as aldeias como paisagem.
            Enquanto a mentalidade não se alterar, alegra-nos a criatividade de algumas aldeias como Aboim.

Pedro Miguel Sousa, in Jornal Povo de Fafe (04-05-2012)

Sem comentários:

Enviar um comentário