terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Liberdade

Espuma doirada de ventos
Em sol matinal
Brisa suave e doce
Nesta areia sem cais.

Ao longe as tempestades
No Bojador esquecidas,
Ao perto as aventuras
Ancestrais.

Repicam as bolas
Crescem os castelos
Soltam-se os gritos
Abraçam-se os demais.

Sem comentários:

Enviar um comentário