terça-feira, 21 de abril de 2015

ENCRUZILHADA

ENCRUZILHADA | Pessoas como todas as outras. Algumas particularidades agressivas nas suas vidas. Mas são pessoas. A praça é um local de todos. É lá que tudo acontece num frenesim quase inexplicável. Só a atenção nos permite perceber as manhas e artimanhas em esquemas de fala e movimento. O que parece… pode não ser e o contrário também. Nada de novo. Uma Praça como qualquer outra. Pessoas como todas as outras…


Esta peça, orientada a partir do tema ‘família’, abordado nas aulas de Área de Integração, foi construída tendo por base a escolha de uma personagem da sociedade. Cada aluno tinha de escolher a personagem, descrevê-la física e psicologicamente, e criar um diálogo dessa personagem com um ‘ele ou uma ela’. Apagadas as falas do ‘ele ou ela’ misturam-se as falas pelos diferentes intervenientes. O resultado é interessante. Os dramaturgos são os alunos. Na cenografia também... A minha parte é ajuntar a juntar as peças do puzzle e encenar… A Escola é isto!

Sem comentários:

Enviar um comentário