quinta-feira, 3 de julho de 2014

Há dias de festa. Na minha Escola.

A manhã ia já a meio e a minha presença já era solicitada à entrada da Escola. Abre-se uma porta, depois outra, o bar… eis que a festa começa a ser preparada depois de abrir mais uma porta, mas desta vez da sala de aula. Os materiais estavam preparados. O velcro, a tesoura, as colunas, as máscaras, os tecidos que serviriam de cortinas teatrais e as fitas para aquela decoração de gala.
Não custa trabalhar quando a harmonia é a palavra de ordem e o companheirismo não é mais do que um cumprimento habitual. A festa é da escola e só há escola quando há alunos. Uma coordenação de boa vontade faz tudo acontecer. Obrigado, mesmo que seja o dever de cada um, não custa nada e permite enaltecer a pessoa, já que se o outro faz, a minha parte está mais livre para outras ações.
Está quase na hora. A festa vai começar. As mesas ficam cheias de repente e a comida é mais do que o essencial. Não faz mal. Nada se estraga. Cuidaremos disso de forma que amanhã os miúdos possam ainda lanchar com o que sobrou. As vozes eram poucas. Mas as palavras foram sinceras.

Hoje o dia foi assim… de Festa!


Sem comentários:

Enviar um comentário