domingo, 30 de março de 2014

Rali em Fafe? Só se for a sério!


Sou um entusiasta da ideia. Acho que já me iludi mais. Agora, brincar ao Rali, penso que já é demais.
Estive lá! Fui lá para assistir ao espetáculo que conheço desde miúdo, mas confesso que fiquei desiludido com a prova. Não sei se foi porque gostei mais o ano passado ou qualquer outra razão, mas soube tão a pouco…
O ambiente à volta? Esse estava muito agradável, por aí vencemos à grande! Isso é tarefa ganha. Lá público temos nós!

O QUE FAZER?
Muito fácil! Fazer todos os possíveis para trazer o “Rali de Portugal” para Fafe. Apostar tudo! Sem medo. O retorno é mais fácil do que se pode imaginar. Estou, neste momento, a traçar um plano de intervenção (Plano de Negócio) para o local. Ainda não sei como o vou dar a conhecer, mas sei que o não vou entregar de mão-beijada. Este plano é ambicioso. Pensado para quem quer investir muito, pouco ou nenhum dinheiro, porque não só precisa de compradores como também de trabalhadores (envolve todas as empresas de Fafe… e do mundo). Serve para a autarquia orientar mas também para uma empresa ou uma associação.
Fafe quer vender a sua marca, mas para isso não chega atirar as pessoas para o meio do monte ver Rali… 140 000 espetadores… qual o retorno? Voltam sem o pretexto do Rali? O que deixam em Fafe? O que levam de Fafe? O que ofereceu Fafe para que eles voltem ou, pelo menos, não se esqueçam de Fafe?
«Já que a Montanha não vai a Fafe, vai Fafe à Montanha»



Sem comentários:

Enviar um comentário