sábado, 22 de fevereiro de 2014

Cada um sobe na vida como pode

Não vou aparecer em fotografias do congresso. O meu sábado à tarde foi assim, brincar ao esconde-esconde e matar saudades de quando subia às árvores. Nunca tive muito medo de subir, o pior era mesmo na hora da descida e se olhasse para baixo então é que eram elas...
Nunca tive a vida propriamente facilitada, mas também não me dou muito bem a andar atrás dos senhores fulaninhos... se apareço ao lado de alguns é porque estou lá com uma função concreta e nunca de escovinha, sei bem que isto tem consequências, mas sinto-me mais feliz a trepar árvores... e o meu Minho é forte nisso!

Sem comentários:

Enviar um comentário